28 de agosto de 2010

Minha Terra

Saí menino de minha terra.

Passei trinta anos longe dela.

De vez em quando me diziam:

Sua terra está completamente mudada,

Tem avenidas, arranha-céus...

É hoje uma bonita cidade!


Meu coração ficava pequenino.


Revi afinal o meu Recife.

Está de fato completamente mudado.

Tem avenidas, arranha-céus.

É hoje uma bonita cidade.


Diabo leve quem pôs bonita a minha terra!

2 comentários:

Brasigrega disse...

Aqui foi o único lugar que eu achei, pela NET, esse poema do Bandeira.
Estou fazendo um projeto de mestrado sobre as crônicas que remetem à infância e os poemas correlatos.
Obrigada
http://marciagrega.blogspot.com

Nei kS disse...

Mais poemas virão, Marcia!

Obrigado pelo incentivo!

Besos!