23 de abril de 2009

CUNHANTÃ

Vinha do Pará
Chamava Siquê.
Quatro anos. Escurinha. O riso gutural da raça.
Piá branca nenhuma corria mais do que ela.

Tinha uma cicatriz no meio da testa:
- Que foi isto, Siquê?
Com voz detrás da garganta, a boquinha tuíra:
- Minha mãe (a madrasta) estava costurando
Disse vai ver se tem fogo
Eu soprei eu soprei eu soprei não vi fogo
Aí ela se levantou e esfregou com minha cabeça
na brasa.

Riu, riu, riu...

Uêrêquitauá.
P ventilador era a coisa que roda.
Quando se machucava, dizia: Ai Zizus!

1927

Nenhum comentário: