14 de março de 2009

NATAL

Penso em Natal. No teu Natal. Para a bondade
A minh'alma se volta. Uma grande saudade
Cresce em todo o meu ser magoado pela ausência.
Tudo é saudade... A voz dos sinos... A cadência
Do rio... E esta saudade é boa como um sonho!
E esta saudade é um sonho... Evoco-te... COmponho
O ambiente cuja luz os teus cabelos douram.
Figuro os olhos teus, tristes como eles foram
No momento final de nossa despedida...
O teu busto pendeu como um lírio sem vida,
E tu sonhas, na paz divina do NAtal...

Ó minha amiga, aceita a carícia filial
De minh'alma a teus pés humilhada de rastos.
Seca o pranto feliz sobre os meus olhos castos...
Ampara a minha fronte, e que a minha ternura
Se torne insexual, mais do que humana - pura
Como aquela fervente e benfazeja luz
Que Madalena viu nos olhos de Jesus...

Clavedel, 1913

Um comentário:

leonardo disse...

Fazendo uma observação ao comentário da amiga Maria das Neves. O nome do preso político é: Sérgio. Isto é pseudônimo. Nome verdadeiro é: Rafael Kamprad. E sua nacionalidade era russo. Quem quiser saber mais desse deleitoso diálogo de grande valia para aos que têm sede de conhecimento de qualidade. Recomendo que leia "Memórias do Cárcere" volume 1 e 2 desse que é considerado se não o maior escritor Nordestino que o Brasil já teve. Esse dialogo encontra-se nas laudas 209, 227 a 232. Ao respeito do poema "O Sorriso" de Manuel Bandeira, obtive esse conhecimento de forma análoga da amiga Maria das Neves.
Para quem quiser travar conhecimento ao respeito da vida e obra de Garciliano Ramos estarei aberto para o debate meu e-mail é leo_lbc@hotmail.com pode adicionar